Então chegaram a ele os fariseus e os saduceus e, para o experimentarem, pediram-lhe que lhes mostrasse algum sinal do céu. Mas ele respondeu, e disse-lhes: Ao cair da tarde, dizeis: Haverá bom tempo, porque o céu está rubro. E pela manhã: Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio. Ora, sabeis discernir o aspecto do céu, e não podeis discernir os sinais dos tempos? Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado, senão o de Jonas. E, deixando-os, retirou-se. (Mt 16.1-4).

O relato bíblico envolve dois grupos distintos e com diferenças fundamentais. De um lado os fariseus, profundamente religiosos e observadores da Lei, a despeito de suas crenças estarem carcomidas pela tradição; sentiam-se defensores únicos do Deus de Israel. Já os saduceus eram religiosos oportunistas, seculares em seus interesses, adicionavam e extirpavam verdades da Torá para adaptá-las às crendices contextuais. Inconciliáveis no campo doutrinário estão juntos para confrontar o Mestre. Ao pedirem sinais do céu legitimam-se como defensores dos interesses de Deus. Sinais dos céus foram marcas que autenticaram muitos dos homens enviados da parte do Deus de Israel. Portam-se assim como a instância final da verdade religiosa.


Cristo atribui aos seus inquiridores a capacidade de antever o comportamento da natureza pelo simples olhar ao céu e perceber a aparência do tempo, assim sabiam como seria o amanhã. Nosso Senhor compara tal capacidade a aquela necessária para perceber o momento vivido por aqueles homens. Quais sinais eles desejavam? Todos os sinais haviam sido dados, e estavam diante do Cristo de Deus. Alimentou multidões com poucos pães e peixes, curou cegos, coxos, expulsou demônios, foram inúmeros os sinais. Todos os sinais necessários haviam sido feitos! O Senhor rejeita tal necessidade, pois entende que eles não se davam ao convencimento.

Qual o motivo pelo qual não perceberam o momento em que viviam? O mundo não se curvou ante seus pressupostos religiosos, não atentaram que sua percepção estava embotada. A disposição mental daquela geração a condenou: uma geração má (culpada) e adúltera. Nosso Senhor disse: Receberá apenas o sinal de Jonas. O que para os Judeus representou que o tempo passou sem que se apercebessem da graça do Senhor; não apalparam o verbo da vida. Deixando-os, retirou-se deles. Perderam o “tempo” de suas vidas.
A despeito dos desígnios do Altíssimo, aquela geração é culpada. Estavam atentos apenas para as verdades cotidianas, para suas tradições e convicções religiosas que não lhes permitiram reconhecer o seu Rei.

Estamos às portas da chegada do Noivo, sabemos do momento em que vivemos, ou estamos olhando para o céu apenas em busca de sabermos como será o dia de amanhã?

Ao Senhor honra, glória e louvor de eternidade a eternidade.

4 comentários em “Que sinal há nos céus?

  1. as igrejas estão atenta a toda formalidade da vida cristã, porém não tem visto a cristo e sua obra, tudo que for fora do legalismo deles é taxado de liberalismo, e não tem visto a cristo e sua obra

    Curtir

  2. Certo Pastor.Os diferentes se unem para tratar das questões da terra, para desqualificar a vinda iminente do Senhor. rastejarás sobre o pó da terra… é a nossa igreja. Sou grato pela bondade de Deus.Abs meu amadoEm Cristo.

    Curtir

  3. Com o evagelho que andam pregando ultimamente, o povo tem ficado com os olhos fixos nesta vida, e em tudo o que poderão adquirir através dela.Poucos são os que encontro realmente com o olhar naquele que há de vir, Jesus.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s