Até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido. Provérbios 17:28
Parece uma volúpia que acometeu a todos. Percebi que as pessoas fazem discursos e textos a respeito de Deus sem a  menor noção da sua personalidade e de seu caráter. E o que é pior, regozijam-se entre seus pares como se estivessem mergulhando nas profundas das “certezas divinas”. Contudo, o que se lê é na verdade um sumário de estupidez.

Resolvi assim, escrever esse texto para levar alguns a reflexão, sei porém, que não lograrei êxito diante desses pelos motivos que serão apresentados ao longo deste post.

Que o Senhor seja bondoso com todos nós.

Em primeiro lugar, é necessário saber o que é estupidez. Dentre seus significados mais comuns, a ideia presente é a falta de senso (discernimento) ou seja, incapacidade de compreender ou julgar algo, e mesmo assim se expressar. Tem anda, seus sinônimos menos conhecidos: estultice ou tolice.

Notadamente, a estupidez decorre da falta conhecimento (ignorância), adicionado à perda de humildade (soberba).

Se possível fosse, teríamos uma equação:

Soberba + Ignorância + Expressão = Estupidez.

Essa característica (quase um atributo) é uma manifestação ou reação “consciente” de um ser. Duro, não é?

Como está posto nas Escrituras:
O tolo não tem prazer na sabedoria, mas só em que se manifeste aquilo que agrada o seu coração. Provérbios 18:2

Uma característica dela é sua necessidade de ser pública, não lhe satisfaz a introspecção, precisa de plateia, da ribalta para se realizar.

Apenas para contribuir um pouco mais, ela também encerra o que é enfadonho, tedioso, além de descomedido, exagerado.

Até aqui nada de tão grave, pois todos nós, de certa maneira, somos estúpidos à medida que manifestamos opiniões sobre algo que não entendemos ou que não conhecemos.

O grande problema é quando há contumácia no exercício da estupidez, ou seja, adotá-la como modelo de vida – transformá-la em estratégia em busca de atenção. 

Como o cão torna ao seu vômito, assim o tolo repete a sua estultícia. Provérbios 26:11

O estúpido credita a si ser o fiel depositário de todo conhecimento, e o que é pior, baseando-se apenas em si mesmo (“reflexão” +“discernimento”).

Em uma geração, em que as redes sociais, enganosamente, transformaram a todos em celebridades e sábios, a estupidez encontrou um campo fértil para seu consumo. Há uma retroalimentação entre o ambiente e o conhecimento (a falta dele, claro) que parece não haver limites.

Por exemplo, pessoas opinam sobre direito, sobre política sem formação; pessoas opinam sobre saúde, doença, terapia sem conhecimento adequado, e da mesma forma opinam sobre Deus, livremente.

Acreditam que a simples divagação é suficiente para credenciá-los para emitir sua  opinião.

Vejamos o que nos cerca: o horóscopo – um estupidez que virou “ciência”. Uma farsa que tenta estabelecer o futuro das pessoas, o qual pertence ao Senhor.

Outra, é autoajuda que foi transformada em mantra de intimidade e comunhão com Deus. Por meio dela muitos se fizeram super-homens: Conquistam, curam os males, desejam e nada os detém. E afirmam: Eu creio! (a fé é uma porta aberta onde passam todas as fantasias pessoais)

Nas redes há ofertas de bênçãos de Deus entrecortadas de palavrões e convites de duplo sentido, e uma boa dose de cachaça ou cerveja para consagrar ao Senhor. 
Que Deus entrecortado é esse? É a mente estúpida funcionando.

Há uma profusão de textos em que as pessoas determinam seu próprio universo de interesse e “relacionamento” com Deus. Fazendo do Senhor uma marionete à disposição para todo propósito.

Acreditam que, pelo mero exercício de seu “intelecto e ventre”, suas frases são como portais de verdade e sabedoria. Porém, sua finalidade é simples: impressionar e a seus pares. E o que é pior, repetem-na, pois para os tais, o curtir ou responder ou compartilhar representam o louvor e exaltação pessoal.

É útil, por regra, definir que o registro de opinião deve ser feito sobre aquilo que, antecipadamente, se conhece.

Outra sugestão, para falta de conhecimento o questionamento é a melhor conduta e não a assertiva – isso se a soberba permitir.

Em relação a Deus, é necessário conhecê-lo pessoalmente, conhecer sua palavra, para fugir da estupidez, inclusive a religiosa.

Se há um Deus forjado nas entranhas humanas, esse é apenas resultado das aflições e bravatas que povoam a mente dos homens. E que nada pode fazer.

Contudo, o Deus eterno criador, adverte:

A boca do tolo é a sua própria destruição, e os seus lábios um laço para a sua alma. Provérbios 18:7

2 comentários em “Estupidez em rede (Viva o Facebook!)

  1. \”a simples divagação\”… Basta esta frase para compendiar o restante. ora! \”Até o tolo quando se cala passa por sábio\”. Enquanto a Bíblia enseja assim, Satanás, enseja o contrário: \”todo tipo de divagação, é válida, é bem vinda\”. Então haja divagações, todo tipo delas para harmonizar seus interesses contra os Absolutos de Deus. Como \”A Verdade\” que, sendo ABSOLUTA, através das divagações mais variadas, absurdas ou estúpidas, Ela passa a ser relativa. Também está correto que promover o orgulho humano ou pessoal, dentre outros interesses, é o objetivo desta rede. Enfim, o orgulho e a divagação se tornam um casal perfeito nas mãos de Satanás para gerar muitos outros filhos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s