Vivemos dias difíceis. São dias em que as teorias humanas passaram a ser normas divinas. É o desconhecimento das Escrituras, associado à frágil meditação que concedeu ao “homem religioso” tomar o mundo, e a si mesmo, como padrão.

Com as Escrituras postas de lado, cada um cria seu próprio conceito, vivendo uma fantasia espiritual, pois o secular passou a arbitrar os significados da fé cristã.

É neste contexto que surgiu o “liberar perdão”. Um perdão novo e revisado, que com aparência de superioridade e espiritualidade, confere a cada um satisfazer seus desejos. Mas, o que diz Deus em suas Escrituras sobre o perdão? É o que Precisamos conhecer.  

Que Ele seja engrandecido!

O mundo afirma ser o perdão uma solução para os litígios. Assim, o perdão exige o litígio, a ofensa. Secularmente, o perdão permite o livramento de obrigações. É a ideia de “deixar ir” sem pagar. Essa é a ideia de perdão segundo o mundo, e cada um segue para o seu lado. Daí procede a ideia de liberar perdão.

Porém, “liberar perdão”, a ideia de “deixar ir”, livrar de obrigações, está em desacordo com o que as Escrituras afirmam sobre perdão. Está em desacordo com o caráter e a justiça de Deus. de fato, se trata de outro perdão, e não o perdão de Deus. E sabemos que apenas Deus pode perdoar pecados, está em Marcos 2.7. Sim, Deus é o juiz de toda a terra. (Gênesis 18.25). E não há outro padrão de justiça, senão o do nosso Deus. Liberar perdão faz Deus injusto. E não podemos mudar os marcos que Deus estabeleceu para Sua justiça. 

É preciso esclarecer que, segundo Deus, na ofensa, as pessoas são inocentes, ou culpadas. Deus não atribui “culpa” aquele que é inocente. (Êxodo 34.7). Tampouco, inocenta o culpado. Deus não o deixa “ir”, desobrigando-o de sua dívida. Ou seja, Deus não “libera pecado”, “deixando-nos ir”, pelo contrário, Ele perdoa cobrando de Cristo, seu Filho. (Que nos substituiu, pagando em nosso lugar). Está escrito: “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus”. (Segunda Carta aos Coríntios 5:21). 

Ainda sobre o perdão, Pedro afirmou: Arrependei-vos, para perdão dos pecados. (Atos 2.38).  Assim, o perdão de Deus exige o arrependimento do pecador. Perdão e arrependimento são verdades que não existem isoladamente. Não há perdão de uma parte, sem que haja arrependimento da outra parte. Pois é o perdão o único meio para reconciliar inimigos. Como nos diz o Senhor em Romanos 5.10. “Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido [já] reconciliados, seremos salvos pela sua vida”.

Portanto, avalie, o “liberar perdão”não procede de Deus. São os enganos do próprio coração, são as  vãs filosofias com aparência de sabedoria, que nenhum valor tem para alma. Essas são apenas estratégias para exaltação humana, roubando de Deus sua glória. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s