O texto não questiona a existência do dom de línguas, apenas oferece uma perspectiva para avaliação sobre sua utilidade ou necessidade em nossos dias. 

Atos 2 e as línguas – Os judeus e prosélitos

A promessa do envio do Espírito para anunciar aos judeus. NÃO HOUVE ORAÇÃO, crentes falaram em idiomas (SEM IMPOSIÇÃO DE MÃOS) que foram entendidos pelos que ali estavam – judeus e prosélitos. Na explicação Pedro lhes disse que se tratava do cumprimento da promessa (Joel) da vinda do Espírito de Deus para Israel, e o juízo vindouro. E lhes anunciou a Cristo. Aparentemente Pedro não falou em línguas. Usou “estes homens” e não nós, não se incluindo. Quando se referiu ao testemunho da ressurreição falou “nós somos testemunhas”, incluindo-se.  (2.15 compare com 2.32). As línguas serviram como sinal da promessa: a vinda do Espírito de Deus para seu povo.

Atos 8 e as línguas – Os samaritanos

O episódio envolve samaritanos e não mais judeus. ORARAM POR ELES PARA QUE RECEBESSEM O ESPÍRITO SANTO. Então LHES IMPUSERAM AS MÃOS e houve algum sinal visível, pois (8.18) diz que Simão “viu” que o Espírito era dado aos samaritanos que haviam crido. As línguas, caso tenham ocorrido, representou a resposta do pedido de Pedro e João. Possivelmente, já haviam entendido o padrão de Atos 2, e perceberam que a separação com os samaritanos havia caído, estes também voltavam a fazer parte do futuro reino – reintegração das 12 tribos.

Atos 10, 11 e as línguas – Os gentios

Após relutar em ir até a casa de gentios, Pedro foi convencido pelo Senhor. ao chegar lá passou a anunciar, que Deus, após sua ressurreição, constituiu Jesus juiz de vivos e mortos. Diferente o argumento de At 2, que diz que Jesus ressurreto foi feito por Deus Senhor e Messias. Caiu o Espírito sobre os que ouviam. Não ouve oração, tampouco imposição de mãos. Os que lá estavam ouviram falar em línguas, conforme ocorreu em Atos 2 (10.47, 11.17).  Pedro entendeu que Deus havia também trazido os gentios para Si.

Atos 19 e as línguas – Os judeus discípulos de João

Este é um grupo de judeus que havia saído da Lei, sem, no entanto, haver conhecido a Cristo. Houve imposição de Paulo e receberam o dom do Espírito.

Sumário de conclusões

Os indícios permitem a afirmar (a despeito de ser um dom do Espírito) que foram faladas línguas absolutamente humanas, pois foram identificadas pelos envolvidos em At 2, e nos demais casos. Nada sugere o contrário.  

Em todos os eventos registrados no Livro de Atos, as línguas serviram como sinal para os discípulos do Senhor. Por elas foi possível entender a extensão de Deus em sua graça. Neste aspecto, ela cumpriria completamente seu propósito. 

Em nenhum dos registros as línguas foram utilizadas para evangelismo, culto, oração ou ensino.

Com os samaritanos envolveu orações, diferente dos demais. Houve imposição de mãos com Pedro e João para com os samaritanos, e com Paulo no episódio envolvendo os discípulos de João, e não nas outras passagens. O que contraria a existência de um padrão ou requisito para a manifestação do dom.

Percebe-se a ausência de repetição, ou seja, para os grupos que experimentaram, Judeus, Samaritanos, Gentios e Discípulos de João, não há registros que voltaram a manifestar o dom.

No capítulo 19 é feito o último registro, no restante do livro há um completo silêncio sobre o tema. Ainda que tenham ocorrido conversões entre judeus e gentios (como o livro registra).

É possível entender que para os discípulos ficara claro que o dom havia cumprido seu propósito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s